Artista recria em 3D rosto de múmia egípcia identificada no Brasil

Artista recria em 3D rosto de múmia egípcia identificada no Brasil

recria rosto de múmia

O brasileiro Cícero Moraes (36) é referência mundial em reconstrução facial forense. Ele recria rostos históricos tendo como base as imagens dos crânios, utilizando programas abertos como InVersalius e Blender.

 

Sua mais recente criação 3D é de uma múmia egípcia identificada no Brasil há pouco mais de 2 meses. Ela ganhou o nome de Iret-Neferet, e segundo estudo, tinha cerca de 40 anos quando morreu. Após o incêndio no Museu Nacional, no Rio de Janeiro, restam apenas duas peças no país.

 

Identificação da múmia egípcia 

 

Cientistas da Pontífica Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) foram os responsáveis por estudar e identificar o crânio. Segundo eles, a peça chegou ao Brasil por volta de 1950. Hoje, ela se encontra em Cerro Largo-RS, num acervo de um pequeno museu.

 

Iret-Neferet tinha cerca de 40 anos quando morreu. Segundo análise, feita através de um método de radiocarbono (Carbono 14), seu período de vida foi entre 768-476 a.C.

 

+ Conheça a arte digital e ‘viva’ de Adrien M e Claire B

+ Em Setembro, São receberá o maior festival de arte digital da América Latina 

 

Segundo os cientistas, não se sabe a origem exata da múmia. Mas histórias de Cerro Largo, que são repassadas há decadas, falam que o crânio chegou ao Brasil por um egípcio. Depois, ela ficou de herança para um advogado, que a doou para os diretores do museu.

 

O processo de recriação em 3D

 

A reconstrução facial digital do rosto da múmia egípcia foi feita considerando os resultados dos estudos dos cientistas. Cícero considerou a faixa etária da múmia, sexo e sua ancestralidade.

 

O trabalho começa com a definição da espessura de tecido mole do rosto, a seguir, vem a reconstituição dos músculos. Por fim, o artista recria nariz, olhos e orelhas. Na etapa seguinte, Cícero inicia o processo digital com base na literatura técnica forense.

 

“Assim que as projeções são feitas, é iniciado o processo de escultura digital. Para finalizar, o rosto é então pigmentado, os cabelos inseridos e a indumentária modelada utilizando como referência os dados fornecidos pelo arqueólogo” disse Cícero em um comunicado.

 

Confira abaixo a evolução do trabalho:

 

Reconstrução facial digital (IMAGEM:DIVULGAÇÃO)

 

Visite o site do artista para saber mais.

 

Siga Portal Mundo no Instagram, Youtube e Facebook 

• Já viu nossos vídeos? Não? Então conheça a TVMundo e desfrute do nosso conteúdo audiovisual!

 

Entrevista com VJ Vacão – Mundo Psicodélico Festival 2018

 

 

Entrevista com Mandragora – Mundo Psicodélico Festival 2018

 

 

Tem um concurso incrível rolando para o Mundo Psicodélico Festival 2019. Clique e concorra a 4 passaportes + brindes!

Comentários