Composto encontrado na Ayahuasca combate a depressão

Composto encontrado na Ayahuasca combate a depressão

Ayahuasca combate a depressão

O composto Harmina, encontrado no chá de Ayahuasca, combate a depressão e pode também estimular a produção neural em avanços contra doenças degenerativas. As informações são de acordo com estudo recente feito por cientistas brasileiros.

 

Em primeiro lugar, a revelação veio de um estudo realizado por pesquisadores do Instituto D’Or e Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ. Em suma, tal estudo mostrou que o composto encontrado na Ayahuasca pode aumentar a proliferação de progenitores neurais humanos em mais de 70%. Os resultados da pesquisa foram publicados na revista estado-unidense PeerJ. Como resultado, você pode acessá-los clicando aqui.

 

Além disso, diversos estudos anteriores já atribuíam à Ayahuasca certo poder de combate a depressão e outros transtornos. Segundo resultados, 24hrs após a ingestão do chá houve uma diminuição dos sintomas depressivos em cerca de 60% dos voluntários. Decerto, esse efeito é atribuído à harmina.

 

+ Leia mais sobre plantas de poder, estudos científicos e redução de danos

 

A harmina, poderoso antidepressivo natural, atua como inibidor reversível da enzima monoaminoxidase, provocando ativação dos receptores de serotonina e sensação de bom humor.

 

+ Filme nacional sobre Ayahuasca revela segredos milenares

 

Ayahuasca no combate da depressão: o estudo

 

“Sabíamos que o efeito de antidepressivos está associado ao estímulo da neurogtênese em roedores. Decidimos testar se a harmina provocaria os mesmos efeitos em células neurais humanas“, afirma Vanja Dakic, doutoranda da UFRJ e auora do estudo.

 

Para entender como a harmina reage nas células neurais humanas, pesquisadores expuseram células geradoras de neurônios aos efeitos da substância. Após quatro dias de contato, a substância do chá aumentou a proliferação dessas células em até 70%.

 

+ ONG oferece Ayahuasca a detentos como terapia de cura

 

Como resultado, também foi possível identificar como as células respondem à harmina. O efeito depende da inibição da proteína conhecida como DYRK1A, cujo gene é bastante ativo em pessoas com deficiência mental.

 

Por fim, conheça nosso parceiro: O portal Ayahuasca.

Já viu nossos vídeos? Conheça a TVMundo e desfrute por fim do nosso conteúdo audiovisual! 

 

Entrevista com Vini Vici – Mundo Psicodélico Festival 2018

 

 

Entrevista com Reality Test – Mundo Psicodélico Festival 2018

 

Comentários