Como a maconha afeta nossa capacidade de sonhar?

Como a maconha afeta nossa capacidade de sonhar?

maconha sonhar

Quando se trata dos efeitos da maconha no sono a resposta ainda não é definitiva, sobretudo sobre o efeito da maconha na capacidade de sonhar.

 

Alguns estudos apontam que a maconha pode afetar a dinâmica do sono, diminuindo o período de sono REM durante a noite.

 

“Existem vários estudos do sono que mostram que a maconha pode diminuir ou suprimir o sono REM. A questão maior é se isso é bom ou ruim. A resposta é, como sempre, ‘depende’.” Comentou o Dr. Jordan Tishler, Presidente da Association of Cannabis Specialists, em entrevista ao Leafly.

Link Patrocinado:

 

>>>Participe do grupo do Portal Mundo no WhatsApp e receba primeiro as notícias.

 

“Sonhar não é apenas uma coisa engraçada que acontece enquanto dormimos, mas é uma parte vital do processo restaurador e da memória e do aparelho de aprendizagem. A privação de REM, em particular, pode levar a disfunções cognitivas e alterações de humor.” 

 

Um estudo de 2008 observou que o consumo regular de cannabis diminui o sono REM. O relatório concluiu uma “diminuição na duração da REM em indivíduos tratados com 15mg de THC, bem como uma mistura de THC / CBD, mas não registrou os efeitos da cessação da cannabis”, embora se acredite que parar realmente leve a algo chamado “efeito rebote do sono REM”.

 

O que é o sono REM e os diferentes estágios

 

Enquanto dormimos, nossos cérebros percorrem cinco diferentes estágios do sono, com os estágios mais longos sendo o sono profundo e o sono REM. O primeiro estágio é o sono leve. É quando ainda estamos entrando e saindo da consciência e qualquer coisinha pode nos acordar.

Link Patrocinado:

 

Durante o primeiro estágio, você pode sentir cãibras musculares repentinas ou a sensação de que está caindo.

 

Uma vez que passamos para o estágio 2, os impulsos elétricos em nossos cérebros diminuem a velocidade. Durante o estágio 3, o que é chamado de “ondas delta” começa a aparecer com maior frequência. As ondas delta são ondas cerebrais de grande amplitude que se originam no tálamo ou no córtex e estão associadas ao sono profundo.

 

No estágio 4, o cérebro agora produz exclusivamente ondas delta e não há movimento ocular ou atividade muscular.

 

Quando entramos no sono REM, finalmente começamos a sonhar. Nossa respiração se torna irregular, o ritmo cardíaco aumenta, nossos olhos se movem rapidamente em diferentes direções e os músculos ficam temporariamente paralisados.

 

>>>Participe do grupo do Portal Mundo no WhatsApp e receba primeiro as notícias.

 

Dependendo de quanto tempo dormimos, poderíamos percorrer o estágio REM algumas vezes durante a noite.

 

Um ciclo completo do sono normalmente dura cerca de 100 minutos, com o primeiro período REM começando entre 70 a 90 minutos após adormecermos inicialmente.

 

No início de nossos ciclos noturnos, o estágio REM dura cerca de 10 a 20 minutos e gradualmente aumenta de tamanho à medida que continuamos a dormir.

Link Patrocinado:

 

Cientistas e especialistas em sono vêm debatendo o propósito dos sonhos há décadas. Até recentemente, a utilidade da fase REM era um tanto descartada. Nos últimos anos, o Dr. Matthew Walker, enfatizou a importância do sono REM junto com outros especialistas, afirmando que o sono dos sonhos tem funções fundamentais para o bem-estar humano.

 

Link Patrocinado:

 

De acordo com Walker, o sono REM remove a picada dolorosa associada a episódios traumáticos ou emocionais experimentados durante o dia. Além de fornecer resolução emocional, sonhar aprimora o processo criativo e as habilidades de resolução de problemas ao fundir memórias individuais de maneiras abstratas e inovadoras. 

 

Sonhar também desempenha um papel na formulação de regras abrangentes a partir do conhecimento que o cérebro adquiriu durante o dia. Fascinantemente, o sono REM é o único momento em que a noradrenalina, uma molécula que desencadeia a ansiedade, é drasticamente reduzida no cérebro

 

O que é o efeito rebote do sono REM?

 

Consumidores assíduos ​​de maconha estarão familiarizados com sonhos malucos caso resolvam se abster de usar maconha por algum tempo.

Link Patrocinado:

 

“O rebote é caracterizado pelo retorno de sonhos vívidos e incomuns conforme sua mente se readapta ao estágio REM do sono”.

 

Embora o rebote REM forneça à mente um meio de recuperar o sono perdido nos sonhos, ele pode ser perturbador.

 

Aqueles que passam pelo rebote REM costumam ter mais pesadelos, um sono REM mais denso, um início do sono REM mais rápido e ciclos de sono alongados para compensar. “O uso intenso de cannabis não é recomendado, por este e muitos outros motivos”, acrescentou Tishler.

 

Link Patrocinado:

 

É “saudável” não ter sonhos?

 

Uma pesquisa realizada em 2016 em ratos também indica que a privação de sono REM em curso por mais de 72 horas prejudica a memória espacial. Portanto, você pode ter mais dificuldade para encontrar objetos ou mais tendência a esbarrar nas coisas.

 

O estudo relatou que esse estado prejudicado continuou por pelo menos 21 dias após o sono REM ter sido restaurado.

 

Apesar do fato de que o sono REM é restaurador e está relacionado à retenção de memória, há alguns “benefícios” em ser privado. O principal deles é menos pesadelos, o que é uma ótima notícia para os pacientes com TEPT.

 

Pesadelos ou terrores noturnos podem impedir que as pessoas consigam um sono tranquilo, o que pode ter efeitos profundos no comportamento de vigília, como alterações de humor, dificuldade de concentração, baixo desejo sexual, ganho de peso e supressão do sistema imunológico.

 

Link Patrocinado:

 

Os efeitos diminutos dos sonhos são extremamente úteis para aqueles que sofrem de pesadelos e/ou insônia. Além disso, estudos mostram que, além de alguma dificuldade crescente na retenção de informações, a falta de sono REM tem pouco impacto sobre nossos comportamentos diurnos, sintomas e saúde geral.

 

Por outro lado, existe a possibilidade de que a cannabis não tenha um efeito claro nos nossos sonhos. Estudos mostram a correlação, mas ainda não há pesquisas suficientes para chegar a uma conclusão definitiva. De qualquer forma, vale a pena explorar mais para descobrir exatamente como a cannabis afeta nossas mentes subconscientes.

 

 

 

Comentários
Link Patrocinado:

Biólogo, Fotógrafo e aluno do Instituto de Botânica de São Paulo. Atua no Portal Mundo como Editor-Chefe de Redação e Conteúdo e na Tv Mundo como Diretor.