Efeitos do Ecstasy: perigos mortais, redução de danos e dicas

Efeitos do Ecstasy: perigos mortais, redução de danos e dicas

Efeitos do Ecstasy perigos danos

Curiosamente, os efeitos do ecstasy raramente levam até níveis de overdose; mas ainda assim é necessário estar ciente de práticas de redução de danos com ecstasy. A substância, popular entre os jovens, possui outros perigos e danos escondidos. Por isso, não se anime: o ecstasy esconde perigos tão alarmantes quanto um quadro de overdose, e que podem acabar com seu rolê ou com sua vida. Sendo assim, lembre-se: sempre busque reduzir os danos.

 

Primeiramente, entenda que o ecstasy mata principalmente através da chamada Hipertermia (aumento excessivo da temperatura corporal) e Hiponatremia (intoxicação por excesso de água). 

 

Parece sem importância, mas você literalmente pode morrer de “calor” e se tomar muita água. Sabe o que dizem né: tudo em excesso faz mal. Os efeitos do ecstasy e suas consequências então…

 

+ Tudo que você precisa saber sobre Ecstasy (MDMA)

+ MDMA: redução de danos e guia para uso menos danoso

 

Mas não é tão simples assim, na verdade existem explicações científicas que podem ser úteis e, inclusive, salvar sua vida. Por isso, é importante estar ciente e, também, conhecer estratégias de redução de danos com ecstasy. 

 

O que é hipertermia?

 

Hipertermia é o quadro fisiológico onde a temperatura corporal ultrapassa os 40°C (sua temperatura ideal e normal gira em torno de 36-37°C).

 

Mas aí você vai me perguntar: “Pô, 3°C de diferença já é tão alarmante assim?”. SIM, 40°C de febre é caso de atendimento hospitalar meu caro.

 

O aumento excessivo de temperatura ocorre devido à ineficiência dos mecanismos de dissipação de calor que existem em nosso corpo. Normalmente temos um aparato fisiológico que garante a estabilidade e controle da temperatura.

 

+ Cigarro de palha vs cigarro comum: qual causa menos danos?

+ A cor do filtro do cigarro faz realmente diferença? Descubra!

 

Estes mecanismos são controlados por uma parte específica do cérebro, chamada hipotálamo

 

A primeira linha de defesa contra o superaquecimento está em nossa pele, onde células termo-sensoriais funcionam como gatilhos de calor e frio e levam esta informação, via impulso nervoso, até o hipotálamo.

 

O hipotálamo por sua vez é responsável pelo movimento vasomotor do corpo, sendo então responsável pela vasodilatação e vasoconstrição.

 

Se o seu corpo está quente demais e necessita reduzir a temperatura ocorrem dois fenômenos: a vasodilatação, a qual dilata intensamente os capilares e vasos sanguíneos próximos a pele a fim de acelerar o resfriamento do sangue; e a sudorese, sua pele possuí glândulas chamadas de sudoríparas que são responsáveis pelo suor que libera fluídos do corpo para a epiderme da pele e através da evaporação do suor, seu corpo perde calor para o meio e, teoricamente, esfria.

 

efeito do ecstasy vasodilatação

Reprodução: IBMC Portugal

 

Além disso, as reações químicas que ocorrem no seu corpo diminuem a fim de produzir menos calor, então podemos dizer que a taxa metabólica também cai.

 

É assim que ocorre a hipertermia e como o seu corpo da um jeito de não morrer por superaquecimento.

 

Como o corpo reage ao estresse térmico?

 

O homem é um animal homeotérmico endotérmico, isto é, produz o seu próprio calor por processos metabólicos e necessita que sua temperatura permaneça constante. A menor variação pode ferrar com sua saúde.

 

Quando a temperatura ambiente está alta -> Seu corpo vai tentar perder calor através da sudorese e redução da taxa metabólica.

 

Quando seu corpo está em constante atividade física -> também através da sudorese, o organismo vai tentar regular a temperatura o mais rápido possível. Para isso, vai gastar MUITA água que está presente em seu corpo e que é fundamental para a manutenção das suas células.

 

+ Os perigos da maconha prensada e formas de redução de danos

 

A atividade física intensa exige um constante fornecimento de substâncias como nutrientes, sais, oxigênio e água que as células retiram dos fluídos que circulam pelo seu corpo. Todo esse metabolismo origina produtos de excreção que precisam ser eliminados do seu corpo, do contrário você também morre.

 

Estes produtos de excreção são eliminados pelo seu par de rins, durante a produção da urina. A quantidade de água na urina depende da ação do hormônio antidiurético (ADH), e também a quantidade de água que seu corpo vai reabsorver durante a filtração dos rins. Simplificando: tá calor, você precisa de mais água, seu corpo vai produzir mais ADH para eliminar menos água e sobrar mais dentro do seu organismo.

 

Os perigos dos efeitos do ecstasy

 

Primeiramente, se você tomou ecstasy junto de um drink, já está errado. O álcool inibe a produção e secreção de ADH, por isso, seu corpo vai eliminar água em excesso e dar início ao quadro de desidratação. Famosa mijadeira de bêbado.

 

+ Homem é preso vendendo Ecstasy falso feito com areia de gato

 

Quando você está sob efeitos do ecstasy muitos dos métodos que seu corpo tem para abaixar a temperatura são comprometidos, como por exemplo:

 

O consumo de álcool é profundamente atrelado ao consumo de outras drogas -> seu corpo vai desidratar e não vai conseguir resfriar através da sudorese.

 

A temperatura, principalmente em raves e festivais normalmente é alta, com alta taxa de insolação, nem preciso falar que isso vai contribuir né. Fora isso, o efeito do ecstasy por si só aumenta a sua temperatura (mesmo se você estiver no frio).

 

+ Maconha sem cheiro pode se tornar realidade

+ Leia mais sobre redução de danos com Ecstasy

 

Com os efeitos estimulantes do ecstasy podemos presumir que você vai dançar ou praticar qualquer outra atividade física que, como vimos, produz calor e gasta água (que você não tem). Além disso, um dos efeitos colaterais do ecstasy é justamente confundir seu hipotálamo sobre seu corpo estar ou não muito quente.

 

RESULTADO: Se sua temperatura corporal ultrapassar os 40°C você corre sério risco de vida e perda de consciência. Ultrapassado os 42°C ocorre a desnaturação das proteínas essenciais para a manutenção da sua vida. Além disso, suas próprias plaquetas podem formar coágulos devido à temperatura, e você pode morrer de embolia.

 

Como tomar muita água pode te matar sob os efeitos do ecstasy

 

A intoxicação por excesso de água no organismo é a maior causa de mortes associadas ao consumo e efeitos do ecstasy (segundo este estudo). Muitos usuários de MDMA reagem ao aumento da temperatura e à desidratação bebendo obsessivamente quantidades absurdas de água.

 

A quantidade de água reabsorvida após a filtragem dos seus rins depende dos níveis de ADH (como falei ali em cima), se houver excesso de água no seu organismo a produção de ADH vai ser inibida novamente pois água demais também pode ser perigoso! Como consequência você eliminaria grande parte dessa água, sem reabsorver quase nada.

 

+ Cristais de THCA: conheça a forma mais pura de THC no mundo

+ Cidade americana vai distribuir kits de redução de danos para usuários de drogas

 

No entanto os efeitos do ecstasy também atrapalham esse processo. Isto significa que sob efeito dessa droga, caso haja água em excesso em seu corpo, ao invés de eliminar o excesso você vai retê-lo. Conclusão: seu corpo perderá a capacidade de controlar a quantidade de água desejável.

 

Ou seja: Você pode sofrer intoxicação por excesso de água sob os efeitos do ecstasy. Os níveis de sódio no seu sangue vão cair, pois serão literalmente diluídos, isso pode acarretar um quadro de edema cerebral (para saber mais leia aqui). A acumulação de água nos tecidos, especialmente no cérebro, pode exercer pressão no órgão e induzir o estado de coma.

 

Redução de danos para os efeitos ecstasy

 

Caso esteja sob efeito da substância, permaneça extremamente atento aos efeitos do ecstasy e à sua temperatura corporal. Procure permanecer na sombra, beba água, mas não obsessivamente. Se possível, tome líquidos isotônicos (tipo gatorade) para evitar a baixa nos níveis de sódio em seu sangue. Caso sinta princípios de badtrip, sente-se, respire e busque conversar com amigos e pessoas de confiança. Lembre-se: é tudo uma questão de tempo até os efeitos passarem. Fique calmo.

 

+ Loló e Lança perfume: perigos e redução de danos

+ Redução de danos para fumantes: piteiras de madeira, papel ou murano?

 

Além disso, procure alimentar-se minimamente. Não se esqueça: reduza os danos para seu corpo e sua mente. Em casos extremos procure o espaço de redução de danos do evento. Caso não tenha, direcione-se ao hospital ou pronto atendimento mais próximo, sempre acompanhado.

 

Para mais sobre redução de danos com ecstasy, clique aqui. 

 

Por fim, siga Portal Mundo no Instagram, YouTube e Facebook

Já viu nossos vídeos? Não? Então conheça a TVMundo e desfrute do nosso conteúdo audiovisual!

 

Entrevista com Zanon – Maori Festival, A Lenda Mauí 

 

 

Entrevista com Berg – Mundo Psicodélico Festival 2018

 

 

Tem um concurso incrível rolando para o Mundo Psicodélico Festival 2019. Clique e concorra a 4 passaportes + brindes da marca!

 

Comentários

Avatar

Biólogo, Fotógrafo e aluno do Instituto de Botânica de São Paulo. Atua no Portal Mundo como Editor-Chefe de Redação e Conteúdo e na Tv Mundo como Diretor.