‘Democracia em Vertigem’ tem poucas chances de ganhar o Oscar, dizem críticos

‘Democracia em Vertigem’ tem poucas chances de ganhar o Oscar, dizem críticos

democracia em vertigem

O longa da aclamada diretora Petra Costa concorre a categoria de melhor documentário. Saiba qual a história narrada e as opiniões dos críticos.

 

‘Democracia em vertigem’: Conheça o filme brasileiro indicado ao Oscar 2020

 

Na última segunda-feira (13), a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou os indicados ao Oscar 2020. A premiação que é uma das mais importantes para o cinema e conta, este ano, com a participação de uma produção brasileira, o documentário “Democracia em Vertigem”, dirigido por Petra Costa.

 

Desde o anúncio da indicação os números de pesquisa pelo documentário original Netflix na internet aumentaram 4.400%, atingindo aproximadamente 2,75 milhões de resultados.

 

 

Leia também: “Chorão: Marginal Alado” chegará aos cinemas em 2020

 

 

As reações provocadas no público variam drasticamente por consequência do alto teor político do longa que narra os processos políticos conturbados que o Brasil passou ao longo dos últimos anos, como a ascensão de Lula ao poder, impeachment da presidenta Dilma Rousseff e o crescimento abrupto da extrema direita.

 

Em informações do EmTempo o crítico de cinema Caio Pimenta explica que o Brasil teve três filmes na disputa Melhor Documentário nesse ano: “Meu Nome é Daniel”, “Humberto Mauro” e “Democracia em Vertigem”. No entanto, devido ao tema de interesse internacional aliado ao apoio da Netflix, o filme de Petra foi mais longe.

 

A vontade de explicar a política nacional é o foco principal e se torna evidente ao longo do filme. A diretora narra de maneira intimista e didática o processo político brasileiro para um público diverso, levando em consideração um público internacional, cujas pessoas não conhecem ou não entendem as dinâmicas de poder do Brasil.

 

democracia em vertigem

 

Em entrevista ao jornal O Globo, Petra Costa conta que muitas pessoas, especialmente americanas, se emocionaram e choraram ao ver o filme. E que a “Polarização já existe, meu desejo é gerar empatia e entendimento.”

 

 

+++ “Doutor Sono”: a sequência de “O Iluminado” é realmente tudo isso?

 

 

E por falar em emoção, é importante destacar a maneira qual o filme é narrado. A diretora descreve os acontecimentos a partir de uma perspectiva pessoal, sempre imersa na trama. Isso fica evidente desde a primeira cena: 

 

 

“Eu e a democracia brasileira temos quase a mesma idade. Eu achava que nos nossos 30 e poucos anos, estaríamos pisando em terra firme. Eu tinha 19 anos quando o Lula foi eleito. Me lembro da euforia. Parecia um grande passo para a nossa democracia

Petra Costa, Primeira cena do filme

 

 

A produção narra toda a história até o primeiro mandato de Lula em 2003, passando por sua reeleição em 2006, a posse de Dilma Rousseff em 2011, a chegada de Temer em 2016 e a eleição de Bolsonaro. O documentário termina com duas frases na tela: “O juiz Sergio Moro é nomeado ministro da Justiça de Bolsonaro” e “Lula permanece preso”.

 

 

+++ Carnaval 4.0: conheça a proposta tecnológica da Rosas de Ouro para 2020

 

 

Quais são as verdadeiras chances do documentário ganhar o Oscar 2020

 

A sorte não está à favor de Democracia em Vertigem e Petra. Pelo menos essa é a principal opinião dos críticos.

 

De acordo com informações divulgadas pela BBC e sites internacionais especializados em cinema e na premiação, o trabalho é considerado o “azarão” do evento neste ano.

 

Isto porque o documentário fica abaixo de seus quatro concorrentes em listas de notas e resenhas, e também “roubou” o lugar de um filme bastante cotado para entrar na categoria.

 

 

Leia também: David Bowie ganhará biografia em quadrinhos

 

 

Muitos críticos sentiram falta do documentário americano Apollo 11, sobre a missão que levou o homem à Lua. No Metacritic, por exemplo, o filme brasileiro aparece em 57° lugar na lista de melhores filmes de 2019 — enquanto Apollo 11 aparece em 14°, com 88 pontos.

 

Um editor do site comentou:

“O documentário que mais ganhou prêmios no circuito de premiações nas semanas mais recentes, ‘Apollo 11’, é o filme obviamente esnobado. A nomeação surpreendente, em seu lugar, é de Democracia em Vertigem, que foi em sua maior parte ignorado em outros lugares.”

 

Apesar do aparente ressentimento com relação à esnobada do Oscar ao filme, i ainda assim ganhou boas notas e resenhas pra lá de positivas de veículos como Variety, Los Angeles Times, New York Times e The Guardian.

 

Ao grande público resta esperar para ver no que vai dar e, claro, refletir sobre o tema e nossa atual situação política.

 

O Oscar 2020 acontece dia 9 de fevereiro e poderá ser assistido na íntegra pelo canal pago E!, a premiação será transmitida via internet e na TNT internacional. O filme pode ser assistido na plataforma de streaming Netflix, confira o trailer:

 

 

 

 

 

Comentários