Mancha de óleo chega em Pratigi, praia onde ocorre o Universo Paralello

Mancha de óleo chega em Pratigi, praia onde ocorre o Universo Paralello

pratigi

Não se sabe ainda os impactos no local, o maior risco é a água usada para abastecer o evento ter sido contaminada.

 

Nesta terça-feira (29/10) um comunicado oficial do Universo Paralello chocou os internautas. Com pesar nas palavras a organização do mega evento noticiou que as manchas de óleo que assolam o nordeste há meses chegaram na região de Pratigi, Bahia.

 

View this post on Instagram

👉🏽 COMUNICADO

A post shared by Universo Paralello Festival (@universoparalellooficial) on

 

O verdadeiro paraíso tropical que acolhe a cada dois anos milhares de pessoas que vêm de diversas partes do Brasil e do mundo prestigiar música (e muito da nossa música brasileira) está drasticamente ameaçado.

 

 

Os reflexos no ecossistema de Pratigi ainda não são conhecidos, a organização do UP 2019 se prontificou a acionar um técnico a fim de realizar análises físico-químicas para descobrir se houve contaminação no próprio abastecimento de água do evento (proveniente de bolsões de lençol freático).

 

 

Leia também: Conheça a incrível história do baiano que pedalou de Salvador até Nova York

 

 

Em breve o evento notificará seus seguidores, via perfil oficial, da qualidade da água do evento. A retirada do poluente, até o momento, está sendo feita pela organização do evento, voluntários e comunidade local.

 

 

Segundo um storie publicado no perfil do 3030, grupo de RAP carioca que se apresentará esse ano no UP, os governantes da região nordeste seguem sem intervir e colaborar para a diminuição dos impactos.

 

 

O UP ainda comunicou que vereadores locais do distrito de Ituberá, corpo de bombeiros e a Secretaria Municipal do Turismo local estão ajudando como podem na questão. A equipe está colaborando em uma grande força tarefa para a limpeza e retirada do óleo, a fim de garantir que o desastre ambiental não atrapalhe o UP. De acordo com o G1, cerca de dois mil quilos de óleo já foram retirados no local.

 

 

Nossa equipe está no local monitorando e também em contato direto com as autoridades locais […]. Estamos ainda mais juntos nesse momento em que a nossa natureza pede socorro e ressaltamos que não pouparemos força e energia para salvá-la. Vale mencionar também que o CIAPRA instituiu em Ituberá um núcleo que conta com o apoio de uma empresa privada, a Oceanpact, que é autoridade mundial em respostas rápidas a desastres ambientais”, diz o comunicado oficial.

 

 

Cá entre nós, a situação trágica de catástrofe ambiental da zona litorânea do nordeste só pode ser resolvida com intervenção federal e alto aporte de recursos para contenção e mitigação dos danos ambientais. 

 

 

+++ Troque bitucas por cerveja: essa é a proposta de um bar em Barcelona

 

 

Ontem (31), a Secretaria do Meio Ambiente de Ituberá comunicou ajuda vinda da Marinha do Brasil para a retirada do óleo na praia, a contenção do vazamento em alto mar ainda não está prevista.

 

 

Foram recebidas doações de EPI’ da Michelin, Frutiba, Agro Industrial e 50 kits da Marinha do Brasil. Bem como, a visita do Superintendente do Ibama, Rodrigo Alves e junto com ele a informação do deslocamento de 40 homens da Marinha do Brasil que ajudarão na limpeza das praias.” diz o comunicado da Secretaria.

Comentários