Ônibus da história real de “Into the Wild” é retirado do Alasca

Ônibus da história real de “Into the Wild” é retirado do Alasca

into the wild

O famoso “magic bus”, símbolo do livro e posterior filme “Into The Wild” foi retirado do seu lugar remoto no Alasca. O motivo: muitas pessoas acabaram se acidentando ou tiveram de ser resgatadas tentando recriar o caminho percorrido por Christopher McCandless.

 

O ônibus ficou famoso após o lançamento do filme Into the Wild (“Na Natureza Selvagem”). O filme, dirigido por Sean Penn foi adaptado a partir do livro homônimo do jornalista Jon Krakauer. 

 

No enredo é retratada a trajetória real de Christopher McCandless “Alexander Supertramp”, ou simplesmente “Chris”, um jovem estadounidense que logo após a formatura na faculdade decide partir em uma busca de autoconhecimento e liberdade.

 

Chris que vinha de família rica doou todos seus bens e partiu em uma viagem longe do materialismo. Em 1992, enquanto explorava a inóspita Fairbanks, no Alasca, ele encontrou um ônibus abandonado no meio da floresta. O ônibus então se tornou seu abrigo no ambiente totalmente selvagem, meses depois seu corpo foi encontrado lá.

 

 

Centenas de turistas tentam recriam os caminhos de Into the Wild

 

As autoridades locais apontam que o ônibus atraía muitos turistas interessados em tentar recriar os passos de Chris pelo Alasca. A área, extremamente remota é de dificílimo acesso e demandava muitos recursos públicos para os eventuais resgates.

 

Estima-se que entre 2009 e 2017 mais de 15 operações envolvendo grandes grupos de busca, helicópteros e até o exército tenham acontecido.

 

“Encorajamos as pessoas a aproveitar as áreas selvagens do Alasca com segurança e entendemos a influência que esse ônibus teve na imaginação popular. No entanto, este é um veículo abandonado e em deterioração que exigia esforços de resgate perigosos e custosos, mas, mais importante, estava custando a vida a alguns visitantes. Fico feliz por termos encontrado uma solução segura, respeitosa e econômica para essa situação”, disse Corri Feige, comissária do Departamento de Recursos Naturais, ao jornal Independent.

 

 

Leia também:

 

 

 

 

 

Em julho do ano passado uma mulher, de 24 anos, morreu tentando atravessar o rio, que faz parte da trilha, com seu marido. Veramika Maikamava foi arrastada pela correnteza e se afogou. E esta não foi a primeira morte durante uma jornada ao magic bus.

 

Em Abril deste ano, o viajante nômade Gabriel Silva (“Gabriel Viajou”) passou por grande apuros também no ônibus de Into the Wild. Em um depoimento em seu instagram (que inclusive foi renomeado para “supernemo”, em alusão ao pseudônimo que Chris usava para despistar a família que o procurava), Gabriel conta que no início da pandemia e da quarentena decidiu se isolar no Alasca selvagem.

 

No meio do caminho sentiu medo ao se deparar com pegadas de urso, ficou rapidamente sem comida e a passagem pelo rio, antes congelado, agora não era mais possível. O brasileiro então acionou um farol de resgate e por sorte foi encontrado pelas autoridades locais.

 

Em um vídeo em seu instagram ele detalha a aventura:

 

 

Tentamos um contato com Gabriel para mais detalhes de sua aventura, aparentemente o viajante foi a última pessoa a conseguir chegar no ônibus antes dele ser retirado. Até o momento não houve resposta.

Comentários