Queimada no Pantanal de MS já destruiu área equivalente ao Rio de Janeiro

Queimada no Pantanal de MS já destruiu área equivalente ao Rio de Janeiro

O Pantanal do Mato Grosso do Sul continua sofrendo com as maiores queimadas de sua história. A queimada atinge o Pantanal há 10 dias, e segundo dados do “Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)”, já foram queimados 122 mil hectares, o equivalente à cidade do Rio de Janeiro. 

 

Este é o segundo incêndio de grandes proporções no Pantanal em dois meses. 

 

Vegetação queimada no Pantanal de MS — Foto: Cláudia Gaigher/TV Morena

 

A queimada atinge a região de Corumbá e Miranda.  O incêndio também afetou a BR-262, que ficou coberta por uma cortina de fumaça, mas a Polícia Rodoviária Federal (PRF) não a interditou.

 

+ Mancha de óleo chega na praia de Pratigi, local onde ocorre o Universo Paralello

 

Desta vez, no entanto, o incêndio é vezes maior que aquele do fim de setembro. O governo do estado resumiu como de “proporções nunca registradas” e “cenário de devastação”. 

 

A queimada se espalhou também para dentro da mata, matando animais como jacarés e peixes. 

 

Queimada no Pantanal Peixes em meio à lama e cinza do que sobrou de alagado destruído por incêndio em MS — Foto: Cláudia Gaigher/TV Morena

 

Da mesma forma, apenas em um trecho de 12 quilômetros, quatro pontes foram queimadas, obrigando os bombeiros a abrirem um desvio para a circulação dos moradores da região. 

 

O incêndio também chegou aos cabos de fibra ótica da região de Corumbá, fazendo com que a conexão de internet da cidade oscilasse constantemente. 

 

+ Akon está construindo cidade de “Wakanda”, na África, inspirada em Pantera Negra

 

Combate à queimada no Pantanal

 

O combate está sendo feito por brigadistas e bombeiros, com a ajuda de três aviões que já lançaram mais de 200 mil litros de água.

 

Há trechos em que as aeronaves passam por cortina de fumaça para despejar água em pontos de difícil acesso. Enquanto isso, no chão, máquinas vão abrindo caminho para levar caminhões com água até os combatentes. 

 

As condições climáticas: umidade relativa do ar baixa, ventos fortes e temperaturas altas dificultam o trabalho. O vento espalha o fogo rapidamente e as labaredas se intensificam por causa do tempo seco.

 

Por fim, siga Portal Mundo no Instagram, YouTube e Facebook

 

Já viu nossos vídeos? Não? Então conheça a TVMundo e desfrute do nosso conteúdo audiovisual!

 

Entrevista com Phaxe – Maori Festival, A Lenda Maui

 

 

Entrevista com Zanon – Maori Festival, A Lenda Maui

 

 

Tem um concurso incrível rolando para o Mundo Psicodélico Festival 2019. Clique e concorra a 4 passaportes + brindes da marca!

 

 

 

Comentários