Shay Victorio: Ex-jogadora de CS:GO pode ser condenada a 116 anos de prisão

Shay Victorio: Ex-jogadora de CS:GO pode ser condenada a 116 anos de prisão

Shay Victorio: Ex-jogadora de CS:GO é condenada à 116 anos de prisão portal mundo

A ex-jogadora de CS:GO e influencer digital Shay Victorio pode ser condenada a 116 anos de prisão por estelionato. De acordo com o Ministério Público, Shay era sócia de um e-commerce acusado de não entregar as encomendas entre 2013 e 2017.

 

A inflluencer Shayene “ShAy” Victorio era sócia de uma empresa de vendas online acusada de estelionato de centenas de pedidos. Shay é namorada do goleiro Jean, do Atlético de Goiás, e abandonou a carreira no CS:GO ano passado. Entretanto, Shay ainda pode recorrer ao processo em liberdade.

 

A condenação foi emitida no dia 07 de janeiro de 2020 e a informação foi revelada ontem, terça-feira (3), pela Coluna do Leo Dias.

 

 

Leia também:

 

 

O TechTudo teve acesso à decisão da juíza Daniella Camberlingo Querobim, da 3ª Vara Criminal de São Paulo. Segundo o site de tecnologia, o documento “afirma que Shayene e outras duas pessoas cometeram infração ao artigo 171, entre outros crimes.”

 

Os crimes teriam acontecido entre 2013 e 2017. Na época a influencer era sócia do seu ex-marido e do seu próprio pai em uma empresa de e-commerce.

 

Shayene foi processada e o Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) ouviu 188 pessoas que denunciaram o estabelecimento por nunca ter efetuado a entrega dos produtos comprados.

 

Segundo o Leo Dias, “as investigações foram conduzidas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO). Como prova foram quebrados sigilos bancários, fiscais e e-mails da ex-jogadora de CS:GO. Apesar da estipulação da pena, a legislação brasileira determina no máximo 30 anos de detenção.

 

 

 

A influencer ainda pode recorrer à condenação em 1ª instância

 

Ao TechTudo, o advogado da ex-jogadora de CS:GO, Dr. Antônio Carneiro enviou um comunicado em que afirma que vai recorrer da decisão, considerada por ele “absurda” e “desumana” – Leia a declaração completa ao fim da matéria.

 

 

 

 

No Instagram, Shay Victorio se pronunciou afirmando que esse processo se trata de um problema que seu ex-marido teve e que a prejudicou indiretamente.

 

Ainda na publicação, a influencer esclarece que, após a separação, o ex-marido se responsabilizou integralmente pela condução e afirma que “algumas pessoas estão atacando-a e tentando fazer com que se sinta mal”.

 

Shay é a atual namorada do goleiro Jean, ex-São Paulo e atualmente no Atlético-Go, que, em dezembro de 2019, foi acusado pela ex-esposa de agressão enquanto passava férias do casal na Flórida, nos Estados Unidos.

 

 

 

Declaração do advogado de Shay Victorio

 

“Se trata de uma empresa do ex companheiro de Shayene e que de maneira indireta lhe afetou. Foi um problema de administração das empresas e que após uma busca e apreensão questionável, fez com que a empresa não conseguisse fazer a entrega de produtos a alguns consumidores, falamos alguns, pois a empresa tinha mais de 10.000 vendas e entregas. Conforme conta no feito, o valor destes 116 consumidores foram creditados em juízo e várias ações estão ajuizadas pela Mega Vendas.”

 

“Estamos recorrendo da sentença que foi absurda e o valor reclamado pelos consumidores não atinge R$ 50.000,00, bem como foram creditados em ações no âmbito cível, devolvidos e tudo por força de atos arbitrários que estão sendo discutidos e recorridos.”

 

“Nas alegações e embargos de declaração que enviamos em anexo, consta reclamação da acusada, contra atos arbitrários na busca e apreensão e que comprovam que a promotoria deixou de devolver mais de 5.000 notas que comprovam a lisura da empresa.”

 

“Shayene hoje está sendo alvo de difamação na internet, com pessoas criando páginas falsas para atacá-la, simplesmente com intuito de fofocas e maldades, o que a compeliu em uma ação indenizatória de conhecimento de Vossa Senhorias. Vamos recorrer da sentença que consideramos desumana, esperando nova decisão e sob o manto do princípio da inocência, pois somente pode ser alguém considerado culpado, quando houver o trânsito em julgado da sentença condenatória.”

 

“Consideramos levianos os atos de terceiros que estão com finalidades espúrias, buscando resolver problemas pessoais e com finalidade a autopromoção. Agradecemos o respeito que esta coluna nos direcionou e anexamos cópias das alegações finais e embargos feitos nos autos.”

Comentários

Redação Portal Mundo

Redação oficial do Portal Mundo e do grupo Mundo Psicodélico.