Show de drones sobre a vida de Van Gogh entra para o Guinness Book

Show de drones sobre a vida de Van Gogh entra para o Guinness Book

show de drones

Um show de drones feito pelo EFYI Group da China entrou para o livro dos recordes no quesito de show mais longo envolvendo drones,  a apresentação teve como tema a vida e a obra do artista e pintor holandês Vincent Van Gogh.

 

Os drones se organizaram em formação que lembravam suas pinturas mais famosas, como A Noite Estrelada, Os Girassóis, Amoreira no Outono e Autorretrato com Chapéu de Palha.

 

O estilo em que as aeronaves se moviam e “pintavam” as obras no céu lembram, de certa forma, a estética seguida por Van Gogh – com “pinceladas” grossas e uma abordagem mais dramática. 

Link Patrocinado:

 

Leia também:

 

 

 

 

Com 600 aeronaves não tripuladas e durou mais de 25 minutos. Os organizadores do espetáculo contaram com a ajuda da universidade de Tianjin e os drones usados foram os Agile Bee II.

 

“A animação é uma forma de contar uma história, de contar algo que você quer contar”, disse Zhang Siqi, diretor de operações do EFYI Group ao Guinness.

 

Os drones se juntaram para contar a história da vida de Van Gogh “A Noite Estrelada” não foi a única pintura de Vincent Van Gogh a ser recriada no céu.

 

 

5 Curiosidades sobre a trajetória de Van Gogh

 

1 – Em 1878, Van Gogh já tinha três carreiras fracassadas, como negociante de arte, professor e livreiro. Entre os anos de 1878 e 1880, ele abandonou seus estudos de teologia antes mesmo de assistir a uma única aula. Ele foi rejeitado por um curso de treinamento para se tornar um evangelista em Bruxelas, e sua nomeação como pregador leigo (uma posição que não exigia treinamento oficial) não chegou a ser renovada.

Link Patrocinado:

 

2 –  Vincent foi atingido por uma depressão severa por quase um ano e foi jogado completamente sobre seus próprios recursos. Então, ele finalmente decidiu seguir o conselho de Theo (seu irmão mais novo) e se tornar um artista. Apesar de sempre gostar de desenhar e ser um apreciador de arte, essa aposta era é um tiro no escuro, pois Vincent certamente não era um talento natural.

Link Patrocinado:

 

3 – Após sua admissão na instituição em Saint-Rémy, Vincent frequentemente menciona a morte em suas cartas. Sua ambição e fé em sua própria saúde gradualmente também começam a diminuir. Vincent estava com medo de que os ataques que sofria pudessem retornar.

 

Por outro lado, seu irmão estava cheio de ambições. Theo era casado, havia se tornado pai recentemente e planejava inaugurar sua própria galeria de arte. Vincent era completamente dependente financeiramente de Theo e talvez se sentisse como um peso para o irmão. Ou talvez ele estivesse preocupado que Theo não seria capaz de continuar a enviar-lhe fundos suficientes no futuro.

 

4 – Vincent considerou Potato Eaters (Os Comedores de Batata), Sunflowers  (Doze Girassóis numa Jarra) e The Bedroom  (O Quarto em Arles) como seus melhores trabalhos. Podemos tirar essa conclusão porque ele continuou a escrever sobre esses quadros em algumas cartas muito depois deles terem sido pintados.

 

Durante seu tempo no sul da França, Vincent também criou várias versões de pinturas que ele gostava. Ao escrever para Gauguin, Vincent até chamou os girassóis de seu tema pessoal.

 

5– Van Gogh só começou a pintar retratos muito tempo depois de deixar a Holanda, quando não viu mais seus familiares. Em seus primeiros anos como artista, Van Gogh concentrou-se principalmente no desenho: suas primeiras pinturas ainda eram naturezas-mortas e paisagens. Pintar retratos exigia prática e os modelos eram caros.

 

Em Paris, Vincent pintou o retrato de uma figura usando um chapéu de palha. A inspiração seria seu irmão Theo, mas também pode ser um autorretrato. Infelizmente, não podemos ter certeza de quem está representado na pintura.

 

6 – Vincent Van Gogh cortou a orelha esquerda quando teve uma discussão acalorada com Paul Gauguin, o artista com quem ele trabalhava há um tempo em Arles.

Link Patrocinado:

 

Foi nesse momento que a doença de Van Gogh se revelou: ele começou a alucinar e sofreu ataques nos quais perdeu a consciência. Durante um desses ataques, ele usou a faca. Mais tarde, ele não conseguiu se lembrar de nada sobre o que aconteceu.

 

O canal oficial do Guinness documentou todo o processo e detalhou etapa por etapa da apresentação. No canto superior direito é possível ver um timer para contabilizar o tempo total do espetáculo, garantindo o lugar no livro dos recordes como show de luzes mais longo realizado por drones. Confira:

 

 

 

Comentários
Link Patrocinado:

Cineasta ,produtora audiovisual e apaixonada por tudo que envolve as 7 artes. Atua como membro da Redação do Portal Mundo.