Uso da maconha após o trabalho não afeta produtividade, diz nova pesquisa

Uso da maconha após o trabalho não afeta produtividade, diz nova pesquisa

efeitos da maconha após o trabalho

Músicos e artistas há muito tempo fazem uso adulto da maconha supostamente para aumentar sua criatividade. Mas como a droga afeta os empregos convencionais das 9h às 5h?

 

Com a Cannabis agora sendo legal em mais lugares, incluindo Canadá e vários estados dos EUA, pesquisas estão sendo realizadas sobre como ela afeta a produtividade das pessoas no trabalho.

 

Uma pesquisa recente, publicada no Sage Journals, descobriu que o uso da maconha após o trabalho não prejudicou o desempenho ou a produtividade das pessoas no dia seguinte.

 

A pesquisa explorou como o uso adulto de maconha em diferentes momentos do dia afetava a capacidade das pessoas de cumprir tarefas e cumprir seus requisitos de trabalho, bem como seu comportamento em relação aos colegas e atitude em relação ao trabalho.

 

+ Perigos da maconha prensada e estratégias de redução de danos

 

O uso de maconha após o trabalho não afetou nenhuma das medidas de desempenho no local de trabalho. No entanto, talvez previsivelmente, quando as pessoas usaram Cannabis antes e durante o trabalho, elas não se saíram tão bem.

 

Melhor do que álcool?

 

Tal como acontece com o álcool – em que consumir uma bebida espirituosa em comparação com uma cerveja não afetará apenas a velocidade de intoxicação, mas também o impacto que isso tem no funcionamento – o efeito da Cannabis varia de acordo com o produto.

 

O estudo não fornece muitos detalhes sobre a quantidade de Cannabis que os participantes consumiram – apenas que a usaram antes, durante ou depois do trabalho. Portanto, sabemos pouco sobre o ponto em que o consumo de Cannabis começa a afetar negativamente o desempenho no trabalho. No entanto, desafia os estereótipos de usuários de Cannabis como preguiçosos e desmotivados.

 

+ Legalização da maconha causou prejuízo milionário ao narcotráfico no Uruguai 

 

As pesquisas sobre os efeitos do álcool no desempenho no trabalho são muito mais extensas. Mostram como beber depois do trabalho, e beber pesado, em particular, afeta negativamente o trabalho de várias maneiras.

 

Isso inclui produtividade reduzida, maiores níveis de absenteísmo, comportamento inadequado e relacionamentos mais precários com os colegas de trabalho.

 

Esta nova pesquisa sobre Cannabis e produtividade, embora limitada, é um passo importante na investigação dos efeitos da droga na sociedade. Vai além das avaliações historicamente negativas do uso de Cannabis, que simplesmente perguntariam aos participantes se eles já haviam usado Cannabis ou não, e então tirariam conclusões com base neste agrupamento simplista. Isso claramente deixou de lado as várias doses e frequência de uso.

 

A pesquisa nessa área é complicada, no entanto, já que as pessoas que usam Cannabis provavelmente também usam ou têm histórico de uso de outras substâncias, como o álcool. Portanto, desvendar qual substância está associada a um efeito no desempenho é difícil, senão impossível em alguns casos.

 

Implicações para testes de drogas

 

O uso de Cannabis não é uma atividade de nicho. Uma estimativa feita diz que 20% dos americanos já usou a droga, enquanto na Europa a Cannabis continua a ser a droga mais popular depois do álcool, seja legal ou não. A Cannabis é bem conhecida por reduzir o estresse e ajudar as pessoas a relaxar, então é provável que seja um antídoto atraente para um dia estressante no trabalho.

 

Se as empresas têm políticas relacionadas a drogas, elas devem ser baseadas em evidências e específicas para as necessidades do trabalho. Os efeitos da Cannabis na coordenação é uma área que é mais problemática. Como o álcool, a droga reduz as habilidades motoras, os tempos de reação e a coordenação motora das pessoas.

 

+ Maconha sem cheiro pode se tornar realidade

 

Ao contrário do álcool, não parece haver efeitos negativos residuais sobre a coordenação no dia seguinte ao uso de Cannabis. Mas outro estudo do início deste ano descobriu que o uso pesado e crônico de Cannabis foi associado a um pior desempenho ao dirigir comparado a motoristas não intoxicados. Isso ocorre porque a droga pode prejudicar as habilidades motoras necessárias para uma direção segura a longo prazo.

 

Este campo de evidências em evolução torna difícil para os empregadores que têm políticas de teste de drogas para seus funcionários. Como a maioria dos medicamentos se decompõe muito rapidamente no corpo, os testes são projetados para identificar substâncias químicas chamadas metabólitos, que permanecem após a quebra da droga e podem ser detectados semanas após o uso.

 

+ Usuários de maconha buscam ‘alívio’ e não apenas ‘onda’, aponta estudo

 

Isso significa que um funcionário poderia ter consumido maconha nas férias, por exemplo, e então ser sujeito a um teste de drogas no trabalho semanas depois e enfrentar uma ação disciplinar quando o teste mostrar um resultado positivo – mesmo que a droga não esteja afetando seu desempenho.

 

Para preencher essa lacuna, existem aplicativos que fornecem um método alternativo de avaliação da deficiência medindo as mudanças no desempenho da tarefa. Essa pode ser uma forma mais confiável e eficiente de verificar se a Cannabis e outras drogas estão realmente prejudicando o desempenho profissional de alguém. Esperar que toda uma força de trabalho se abstenha não é realista e restringirá talentos que os empregadores podem recrutar.

 

 

 

Comentários

Redação Portal Mundo

Redação oficial do Portal Mundo e do grupo Mundo Psicodélico.